Parceiros



Estado do Rio de Janeiro pode se tornar livre da febre aftosa

Autoria: Redação  |  Fotos: Divulgação



O Estado do Rio de Janeiro pode ficar livre da febre aftosa. Para isso deve cumprir os requisitos do Ministério da Agricultura, que lançou um plano estratégico para reconhecer o Brasil como livre da febre aftosa sem vacinação. Para isso os estados foram divididos em cinco blocos. O principal objetivo deste plano é alcançar novos mercados consumidores, além de passar a exportar para países que ainda não compram carne do Brasil, pois o rebanho ainda é submetido à vacinação. Visa também fortalecer as medidas de prevenção e redução das vulnerabilidades, aprimorar as capacidades do serviço veterinário oficial nos estados, fortalecer as parcerias público-privadas e contribuir com a modernização da defesa agropecuária.

Desde 1997, o estado não registra foco da doença. No Brasil, apenas Santa Catarina é reconhecida com o status de livre da febre aftosa sem vacinação. Já o Paraná suspendeu a vacinação neste ano e busca o reconhecimento internacional.
De acordo com o cronograma do Ministério da Agricultura, o estado do Rio de Janeiro e o restante do País podem deixar de vacinar contra a doença em 2021. Para tanto, deve cumprir uma série de ações que permitam comprovar que o rebanho brasileiro não será mais afetado, como: barreiras sanitárias, controle das rotas, vigilância específica nas fazendas, monitoramento, sorologia para a certificação de que não existe circulação viral, entre outros pontos.

 


É um Plano de responsabilidades compartilhadas. Por isso, a Secretaria de Agricultura realizou, com a presença do secretário Marcelo Queiroz, o “Fórum Estadual de Plano Estratégico 2017 – 2026”, para apresentar e discutir ações do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa - PNEFA. Somente após a avaliação satisfatória da qualidade do serviço sanitário, que vem sendo auditado pelo Ministério da Agricultura, através do programa Quali – SV, o Brasil ficará livre da vacinação.
“A Secretaria de Agricultura, em parceria com a Faerj, que representa o setor produtivo e o Ministério da Agricultura estão realizando esses fóruns para dar ampla divulgação das ações que são necessárias para serem desenvolvidas por todos. E dessa forma possamos obter o status sanitário para no futuro caminharmos sem vacinação”, disse Marcelo Queiroz.

galeria de imagens desta notícia

deixe seu comentário



 



comentários

Os comentários não expressam a opinião da Folha Popular ou de seus representantes e colaboradores e são de inteira responsabilidade das pessoas que os escreveram.

Nenhum comentário



outras notícias



Assine nossa NewsLetter !

Por favor, digite seu Nome e Email

Digital Newsletter

Para cancelar inscrição, por favor clique aqui» .


A Folha

Capa
Expediente
Contato

Redes Sociais

Facebook
Twitter
Youtube

Segurança

Acesso Restrito
Webmail

Voltar ao topo