Parceiros



Juiz de Fora terá barragem ampliada

Autoria: Redação  |  Fotos: Augusto Medeiros



A barragem de rejeitos localizada no Bairro Igrejinha, em Juiz de Fora, vai duplicar a capacidade de armazenamento. A informação foi confirmada nesta terça-feira (5) pela empresa Nexa Resources, responsável pela administração da Barragem da Pedra.

De acordo com a assessoria da Nexa, a obra de ampliação da barragem está na fase final, restando somente a instalação do sistema de impermeabilização final e estruturas acessórias como canaletas e sinalizações.

Com a conclusão da obra, a barragem terá capacidade para armazenamento de 3,29 milhões de m³ de rejeitos, ou seja, pouco mais do que o dobro da quantidade suportada atualmente, que é de 1,5 milhão. A barragem passará a ter a altura de 761 metros.

Segundo a empresa, a Barragem da Pedra foi projetada para ser construída em duas etapas e, em maio de 2019, a 1ª fase estará cheia de rejeito. A Nexa explica que a ampliação, que teve início no ano passado, está em fase final e, com a conclusão, vai permitir a liberação para uso.

A ampliação da barragem garante que o local tenha pelo menos mais 14 anos de vida útil. A barragem realiza o armazenamento de resíduo industrial da unidade de metalurgia da Nexa em Juiz de Fora.

 

Visita dos vereadores

Os vereadores de Juiz de Fora visitaram nesta terça (5) as barragens da Pedra e dos Peixes, ambas administradas pela Nexa. Os representantes do Legislativo foram em busca de avaliar as condições dos locais.

A ação dos parlamentares foi motivada pela tragédia ocorrida no dia 25 de janeiro em Brumadinho, quando uma barragem da Vale se rompeu e causou a morte de centenas de pessoas.

A assessoria da Nexa informou que além dos vereadores, também participaram da visita membros da comunidade, professores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e representantes do Corpo de Bombeiros.

No encontro, a empresa explicou que a Barragem da Pedra tem volume de 1,5 milhão de m³ e encontra-se ativa. Já a Barragem dos Peixes está inativa para disposição de rejeito desde 2012 e o volume é de 800 mil m³.

De acordo com a Nexa, no sistema de gestão de segurança a empresa conta com “instrumentos de monitoramento como piezômetros, poços de monitoramento, inclinômetros e pluviômetros, as barragens possuem uma rotina de inspeção interna quinzenal, avaliação mensal externa dos dados de monitoramento e inspeção”.

A empresa garantiu ainda que todas as barragens possuem laudos técnicos que garantem a estabilidade das operações.

galeria de imagens desta notícia

deixe seu comentário



 



comentários

Os comentários não expressam a opinião da Folha Popular ou de seus representantes e colaboradores e são de inteira responsabilidade das pessoas que os escreveram.

Nenhum comentário



outras notícias



Assine nossa NewsLetter !

Por favor, digite seu Nome e Email

Digital Newsletter

Para cancelar inscrição, por favor clique aqui» .


A Folha

Capa
Expediente
Contato

Redes Sociais

Facebook
Twitter
Youtube

Segurança

Acesso Restrito
Webmail

Voltar ao topo