Parceiros



Secretário anuncia novidades na educação do Estado

Autoria: Redação  |  Fotos: ENTREVISTA: Secretário detalhou as ações (Tv Globo)

As duas primeiras escolas militares criadas pelo governo de Wilson Witzel vão ficar no Sul Fluminense. O secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, anunciou que Volta Redonda e Miguel Pereira abrigarão unidades.


Fernandes também afirmou que vai atacar a falta de professores com a contratação de horas extras.


“Estamos tendo a oportunidade de reformar praticamente todas as escolas. Vamos suprir o déficit de professores”, prometeu o secretário.”


“Pegamos a rede com menos 2.016 professores, o que causa um impacto de mais de 35 mil aulas que deixam de ser dadas todos os meses. Conseguimos autorização com a Secretaria de Fazenda para contratar a hora extra dos profissionais que estão na rede para suprir a demanda e fazer com que os alunos não sofram com a falta de professores”, disse o secretário, afirmando que o pagamento dessas horas extras será imediato.


A segunda fase da matrícula para o ano letivo de 2019 começou nesta terça, e, segundo Fernandes, há vagas para todos. Ele diz que há um problema pontual de vagas na cidade do Rio com déficit de matrículas principalmente no horário diurno.


“A Zona Norte do Rio, por exemplo, sofre muito porque a grande maioria das escolas funciona compartilhada em prédios emprestados pelo município, onde só se oferece matrícula noturna. E tem jovens de 15 anos que têm muita dificuldade de estudar à noite porque infelizmente só existe essa opção de estudar à noite. A gente precisa retomar a política de construção de escolas nessas regiões com maior demanda para proporcionar vagas diurnas o mais rápido possível”, disse o secretário.

Escolas militares
Segundo Fernandes, a Secretaria Estadual de Educação cede imóveis que não estejam ocupados e auxilia com a logística e a infraestrutura necessárias. “Os locais estão sendo vistoriados pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (15) para que a gente possa aprovar no Conselho de Educação e iniciar o mais rápido possível”, disse o secretário em entrevista.
As unidades serão instaladas com o fundo do Corpo de Bombeiros, que pode arcar com essas escolas, como já fez com duas outras unidades em 2018. Fernandes diz que essa política de expansão está sendo comandada diretamente por Witzel, que colocou a Educação como uma de suas prioridades.

Instalações
A falta de estrutura, com escolas com vazamentos, sem ar-condicionado e com manutenção precária, foi um problema que se repetiu em 2018. O secretário admite que a refrigeração nas escolas precisa avançar mais.
Segundo ele, a licitação está em andamento, com processo no Tribunal de Contas do Estado. Ele vai pedir uma agenda com a presidente do TCE para que libere esse processo o mais rápido possível.
“A gente acredita que, chegando esse processo de volta ainda no mês de janeiro, fevereiro, a gente consiga licitar o processo de implementação nas escolas. Espero que até o fim deste ano, a gente consiga pelo menos suprir as escolas onde são mais necessárias a climatização”, calculou o secretário.

galeria de imagens desta notícia

deixe seu comentário



 



comentários

Os comentários não expressam a opinião da Folha Popular ou de seus representantes e colaboradores e são de inteira responsabilidade das pessoas que os escreveram.

Nenhum comentário



outras notícias



Assine nossa NewsLetter !

Por favor, digite seu Nome e Email

Digital Newsletter

Para cancelar inscrição, por favor clique aqui» .


A Folha

Capa
Expediente
Contato

Redes Sociais

Facebook
Twitter
Youtube

Segurança

Acesso Restrito
Webmail

Voltar ao topo